Menu


Jovem que assaltou Dom Orani pediu perdão

26 SET 2014
26 de Setembro de 2014

O assalto aconteceu por volta das 20h30, quando o cardeal voltava do Centro de Formação do Sumaré e seguia para a sede da Arquidiocese do Rio, na Glória.

"Eu não queria fazer isso, o senhor me perdoa?", disse um dos assaltantes que participou do roubo ao arcebispo do Rio, Cardeal Orani João Tempesta, na noite do dia 15 de setembro, em Santa Teresa. O assalto aconteceu por volta das 20h30, quando o cardeal voltava do Centro de Formação do Sumaré e seguia para a sede da Arquidiocese do Rio, na Glória. Ele estava na companhia do motorista, do fotógrafo e de um seminarista que presenciaram o crime. O cardeal disse ao jovem que estava perdoado. Seus pertences foram achados depois no bairro Rio Comprido.

Os assaltantes levaram a cruz peitoral, o anel, o relógio, o celular e a caneta do cardeal, além dos pertences dos outros ocupantes do carro: carteiras com documentos, dinheiro, celulares, a mochila com a túnica do seminarista e o equipamento fotográfico.

"Nós vimos um carro carro parado no meio da rua e o motorista reduziu a velocidade, um menino veio com uma arma, seguido por outros dois. O jovem com a arma foi para o lado do carona, onde estava o cardeal, e eles nos obrigaram a sair do carro", contou o fotógrafo da Arquidiocese do Rio, Gustavo de Oliveira.

De acordo com o fotógrafo, todos os assaltantes pareciam ter entre 17 e 18 anos. Os pertences foram abandonados em uma rua no bairro do Rio Comprido. Os objetos foram encontrados por uma pessoa que passava e depois levados para uma delegacia. Tudo foi encontrado, exceto a máquina fotográfica.

"O jovem disse a Dom Orani: 'o senhor é da Igreja, né?'. Dom Orani disse que sim, então ele pediu perdão e o cardeal respondeu que o perdoava. Acho que ele queria ter devolvido tudo naquela mesma hora, mas achou que os outros não deixariam. Ficamos muito surpresos com tudo isso, mas conseguimos manter a calma", afirmou Gustavo.

Mesmo depois do assalto, Dom Orani foi direto para o compromisso onde era aguardado no Edifício João Paulo II. Segundo a assessoria de imprensa, o cardeal não quis fazer pronunciamento, mas uma nota sobre o assalto foi postada em sua página no facebook.

O caso foi registrado na Décima DP, em Botafogo.
Voltar

Mais Unção na sua internet!


Tenha você também a sua rádio